sábado, 17 de junho de 2017

Confiança do empresário cai em maio depois de três aumentos consecutivos

     Depois de três meses de crescimento, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio voltou a sofrer queda na comparação mensal. Com 110,6 pontos em maio, o indicador ficou 1,98% menor em relação ao resultado de abril. Os dados são da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo – CNC, em parceria com a Fecomércio Tocantins, e se referem aos empresários de Palmas.

      Porém, na comparação anual, o índice está 33% maior. Essa avaliação é feita por meio dos itens questionados na pesquisa, que são transformados em indicadores e variam de 0 a 200 pontos. Até 100 pontos, a avaliação dos empresários demonstra uma visão de insatisfação. Acima de 100 pontos, a análise reflete uma situação satisfatória. Apesar da queda mensal, o ICEC continua na zona de satisfação.
        A coleta dos dados para a pesquisa Índice de Confiança do Empresário do Comércio referente ao mês de maio foi realizada nos últimos dez dias de abril. O objetivo da análise é produzir um indicador com capacidade de medir, com a maior precisão possível, a percepção que os empresários do comércio têm sobre o nível atual e futuro da economia, do setor e das empresas.

Expectativas e condições atuais
     De acordo com 84,1% dos entrevistados, a expectativa melhorou para a economia brasileira, 90,8% acreditam o que futuro do setor do comércio deve ser mais favorável e 93,3% disseram que a perspectiva para suas empresas também está melhor. O nível de investimento das empresas será menor, segundo 60,5% dos entrevistados. Sobre seus estoques, 52,9% afirmaram estarem adequados, 58,9% dos empresários pretendem contratar mais colaboradores e 54,2% acreditam que as empresas vão bem.
        Entretanto, o ponto de vista dos empresários sobre a situação atual da economia, do setor e das empresas não é tão positiva. Para 71,8% dos entrevistados, a condição atual da economia brasileira piorou e 64,4% enxergam com pessimismo o setor do comércio.