quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Estudo busca fortalecer cadeias produtivas de Piscicultura e Silvicultura no Tocantins

            Representantes de diversas entidades e instituições integrantes do Núcleo de Arranjos Produtivos Locais (NAPL-TO) promoveram um encontro com objetivo de reunir informações para o estudo da cadeia produtiva de Piscicultura e Silvicultura do Estado. Evento ocorreu nessa segunda e terça-feira, 30 e 31, na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden).

            O estudo, que engloba também outras cadeias, está sendo elaborado pela empresa de consultoria Markestrat, com recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico do Tocantins (FDE). O projeto foi aprovado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico (CDE), órgão vinculado à Seden.
              De acordo com o gerente de Arranjos Produtivos Locais da Seden, Marcondes Martins, a consultoria busca levantar informações sobre as potencialidades das principais cadeias produtivas do agronegócio no Tocantins. Nesta fase, o principal objetivo do estudo é definir estratégias que devem ser adotadas para desenvolver a piscicultura e a silvicultura.
              Sobre o levantamento da cadeia da piscicultura, Marcondes Martins explicou que, após o estudo, será elaborado um relatório final que definirá as diretrizes de atuação, tanto do poder público quanto dos agentes privados que fazem parte da cadeia. Ainda segundo o gerente, o estudo deve ser finalizado até janeiro de 2018. Sobre as ações da Secretaria para desenvolvimento da piscicultura, o gerente lembra que já está em andamento a realização do censo/diagnóstico da Piscicultura, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins), e também a elaboração do Plano de Desenvolvimento da Piscicultura.
              Participaram da reunião representantes da Universidade Federal do Tocantins (UFT), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), além de representantes da empresa em consultoria Markestrat.
Demais cadeias
                  A Seden recebeu, pela primeira vez, os representantes da consultoria Markestrat no mês de agosto. Na oportunidade, a equipe técnica da pasta, liderada pelo superintendente de Desenvolvimento Econômico, Vilmar Carneiro, apresentou, aos consultores informações, expectativas, desafios e avanços alcançados pelo Estado no que tange às cadeias de produção da soja, do milho, da pecuária, do arroz, da silvicultura e da piscicultura. Em sua abordagem, Vilmar destacou a ampliação da oferta de matérias-primas como fator primordial para a atração de unidades de processamento. Desafios e oportunidades nos setores de logística, armazenamento e acesso ao mercado externo também foram destacados na explanação.
                 Ao final do estudo, serão elaborados três relatórios, sendo o primeiro sobre as cadeias de soja e milho; depois sobre pecuária e arroz; e por último, um relatório englobando as cadeias da silvicultura e da piscicultura.