domingo, 20 de agosto de 2017

Parceria pode levar linha de crédito ao público do Projeto de Economia Solidária

     A equipe da Diretoria de Inclusão Produtiva (DIP) da Secretaria de Estado do Trabalho e da Assistência Social (Setas) estuda a possibilidade de uma parceria com o Banco do Empreendedor para viabilizar linhas de crédito aos membros de empreendimentos de Economia Solidária contemplados pelo Projeto Ecosol Territorial. Os detalhes da parceria foram discutidos durante reunião nessa quarta-feira, 16, em Palmas.
      De acordo com o técnico da DIP, Valter Frota, será criada uma agenda positiva de trabalho para capacitar, de forma regionalizada, a partir do dia 20 de setembro, os agentes de desenvolvimento de Economia Solidária que deverão orientar os empreendedores solidários dos 17 municípios dos Territórios da Cidadania (Bico do Papagaio, sudeste e Jalapão) envolvidos no Projeto Ecosol. “Essa parceria vai potencializar o perfil socioeconômico das famílias na linha da extrema pobreza, com renda per capita de R$ 77,00 até R$ 170,00 e fortalecerá os pontos de apoio de Economia Solidária”, explicou.

Sobre o microcrédito
      O microcrédito a ser liberado pelo Banco do Empreendedor terá limite máximo de R$ 10 mil para constituição de novos empreendimentos de Economia Solidária, em sintonia com a linha de crédito prevista após aprovação do cadastro pelo Comitê Gestor Estadual do Banco do Empreendedor.
Ecosol Territorial 
        O Projeto Ecosol Territorial é proveniente de um convênio entre a Setas e o Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária, e tem como objetivo fortalecer organizações de Economia Solidária nos territórios do Bico do Papagaio, Jalapão e região sudeste do Tocantins, com o intuito de promover o desenvolvimento social e a erradicação da pobreza no Estado.
         Entre as ações do Projeto estão a contratação e a capacitação de 17 agentes de Desenvolvimento Local e Economia Solidária para atuarem como formadores de opinião sobre a Política Nacional de Economia Solidária em suas respectivas áreas, sendo sete agentes para o território do Bico do Papagaio, cinco para a região do Jalapão e cinco para a região sudeste do Tocantins.