terça-feira, 6 de março de 2018

Evento destaca potencialidades do Tocantins no agronegócio e na logística

             Realizado pelo Governo do Tocantins e o Banco Mundial (Bird) nesta quinta-feira, 1º de março, o Seminário de Agrologística reuniu cerca de 300 pessoas, entre elas produtores agrícolas, empresas do ramo de logística, pesquisadores, técnicos e estudantes, no auditório do Palácio Araguaia, em Palmas.
           O evento, que ocorreu durante todo o dia, contou com uma programação que reuniu importantes palestrantes e estudiosos das áreas de logística e da agricultura do país. Logo pela manhã, a vice-governadora Claudia Lelis participou da abertura e destacou que o Tocantins é um estado privilegiado quando se trata de logística.

        “Temos localização estratégica, disponibilidade de terras para expansão agrícola, inclusive sem a necessidade de abrir novas áreas, pois podemos converter área de pastagens para a agricultura, temos tecnologia e pesquisa, ambiente institucional com segurança jurídica, produtores com alto nível de empreendimento, e principalmente o esforço do Governo em promover uma infraestrutura adequada para a produção de grãos”, afirmou a vice-governadora.
          Claudia Lelis disse ainda que o governador Marcelo Miranda tem trabalhado incansavelmente para o desenvolvimento do agronegócio no Tocantins, com comprometimento e esforço na melhoria das estruturas, se adequando e enfrentando desafios na intenção de promover o desenvolvimento econômico e social do Estado.

         Já o gerente de projetos do Banco Mundial, Satoshi Ogita, destacou o trabalho que a instituição desenvolve no Tocantins por meio do Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável (PDRIS). “O PDRIS é um empréstimo de U$$ 300 milhões do Banco Mundial que visa, em sua maioria, a reabilitação de rodovias e melhoramento de estradas vicinais. O Brasil tem um potencial gigantesco de logística, mas precisa melhorar sua eficiência, por isso estamos aqui discutindo esses caminhos”, disse.
Caminhos do Agronegócio no Tocantins
         Uma das palestras que mais chamou a atenção dos presentes foi a ministrada pelo professor titular da Universidade de São Paulo (USP), Marcos Fava Neves, com o tema Caminhos do Agronegócio do Tocantins. O palestrante discorreu sobre as potencialidades e as oportunidades que os produtores do Estado podem explorar.
          “Neste último um ano e meio, tive a oportunidade de conhecer bem o Tocantins e fiquei encantado, porque o Estado tem uma característica muito interessante. Ele tem pouca gente e muito recurso e quando você olha, hoje, o mundo, você tem muita gente e pouco recurso. Então, é um casamento perfeito. O Tocantins vai ser um produtor de comida cada vez mais para esse mundo asiático e nós temos que nos preparar para isso”, explicou Marcos Fava Neves.
            O palestrante destacou também o potencial das cadeias produtivas existentes no estado. “Aqui existe o empresário e a vontade política de fazer acontecer. Então é necessário que esse modelo bonito que vocês montaram, da produção de soja, milho, arroz, da pecuária e do leite possa ser diversificado e gerar mais valor para o Tocantins. Tranquilamente dá para trazer, nos próximos dez anos, mais R$ 30 bilhões em termos de produção agropecuária, simplesmente fazendo o Tocantins ficar mais competitivo e aumentando sua produção”, destacou.

            Marcos Fava Neves destacou a participação do público e a importância da realização do evento. “Temos aqui espectadores muito atentos e animados para fazer as coisas acontecerem. Os organizadores do seminário também estão de parabéns por abordar esse tema, porque, hoje, você não tem como separar o agronegócio da logística, principalmente no Brasil. Não existe agronegócio sem uma logística eficiente, e o Tocantins está fazendo muito bem de juntar as duas coisas e com isso ficar mais forte”, concluiu.
            Além da palestra do professor Marcos Fava, o evento contou também com a palestra Análise de Risco e Custo na Agrologística do Tocantins nas Cadeias de Arroz e do Milho, ministrada pelo gerente de projetos do Banco Mundial, Satoshi Ogita; Programa de Desenvolvimento Regional da Área de Influência da Ferrovia Norte Sul, conduzida pelo representante do Consórcio MCRIT/Urbana Consultoria, Vladimir Fernandes Maciel; Logística como Viabilizadora do Agronegócio no Tocantins, ministrada pelo Engenheiro de Produção Mecânica, especialista técnico em Produção Agrícola da VLI, Edson Eddy Zacarias; Desenvolvimento de Corredores Logística no Brasil, conduzida pelo especialista em Transportes do Banco Mundial, Gregoire F. Gauthier; e Plano Estadual de Logística de Transporte, proferida pelo representante da NGT Consult, Newton Castro.
Ampliando Conhecimentos
        Presente ao evento, o professor de economia da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Waldecy Rodrigues, comentou as possibilidades trazidas pelo seminário. “É um importante debate, na medida em que traz informações estratégicas para que o Estado possa ter um futuro mais competitivo e mais integrador das suas cadeias produtivas. Além das novas informações, o evento também promove uma mistura de profissionais dos setores privado e público, universitários e técnicos da área fazendo com que surjam novas parcerias e conhecimentos”, discorreu.

          Waldecy Rodrigues falou também sobre a importância do agronegócio para o Tocantins. “É o motor da nossa economia. A nossa cadeia logística também é relevante dada a nossa localização estratégica, mas é necessário explorar os pontos positivos para que essas potencialidades sejam melhores delineadas ao longo do tempo”, frisou.
          O estudante do 5º período do curso de Economia da UFT, Pedro Eliagi de Oliveira, também falou sobre a importância do seminário para o meio acadêmico. “Eu achei muito interessante, as palestras estão bem produtivas e trazendo informações importantes para nós que estudamos a economia. Essa visão de longo prazo, de planejar o que foi dito fará parte da nossa rotina quando estivermos no mercado de trabalho”, concluiu.