segunda-feira, 16 de abril de 2018

Prefeitura de Porto Nacional revisa Plano Municipal de Água e Esgoto, estabelece metas novas para concessionária e dá atenção à Luzimangues

Pela primeira vez na história do Município foi colocado em questão a recuperação de mananciais.


            A Prefeitura de Porto Nacional, por meio da Secretaria de Planejamento, Habitação, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia, assinou nesta sexta-feira (13) a Revisão do Plano Municipal de Água e Esgoto em evento que aconteceu no auditório do IFTO. O Documento estabelece metas a serem cumpridas pela concessionária dos serviços. Pela primeira vez na história do Município foi colocado em questão a recuperação de mananciais.
        O Plano é feito para um horizonte de 30 anos e revisado a cada 4. O Plano foi construído pela equipe da secretaria executiva de meio ambiente da Prefeitura e contou com participação popular. Luzimangues também teve ampla atenção, que já será colocado como desafio nesta gestão.  
             O Prefeito de Porto Nacional, Joaquim Maia, afirmou que a gestão está negociando com a concessionária e buscando investimentos para que o saneamento básico em Porto Nacional continue evoluindo e alcance mais pessoas. “Estamos discutindo para acrescentar novos bairros na coleta de esgoto e manter a condição da àgua tratada para a totalidade da população”, explicou.
Empenho
          A Secretária de Planejamento, Habitação, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Flávia Ayres frisou a participação popular na construção do Plano. “A intenção é que a população seja atendida e acolhida e conseguimos desenhar isso muito bem. Vamos nos empenhar. É um empenho de toda a gestão”, destacou Flávia.
           O plano será repassado para a concessionária que terá de cumpri-la, explicou o secretário executivo de Meio Ambiente, Thiago Valuá. “A Prefeitura pela primeira vez não contratou consultoria e apostou no trabalho de sua equipe, economizando muito dinheiro. Dentre as principais metas está a redução de perdas e apresentamos metas que nunca tinham sido apresentadas como a recuperação de mananciais”, ressaltou.