segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Dia do engenheiro agrônomo é lembrado por relevante trabalho para a fixação do homem no campo

           Comemorado nesta data, 12 de outubro, o dia do engenheiro agrônomo rende homenagens a esse valoroso profissional responsável pelo desenvolvimento sustentável do setor agrícola.



          Presente nos 139 municípios do Estado, o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) conta com 94 engenheiros agrônomos, que por meio da profissão provocam significativas mudanças em todas as cadeias produtivas, gerando renda e melhoria da qualidade de vida dos produtores rurais.

            Marco Aurélio, engenheiro agrônomo há onze anos e sete atuando no Ruraltins, destaca que é gratificante trabalhar a essência da profissão junto ao homem do campo.

“No Tocantins, por ser um estado essencialmente agrícola, o trabalho do engenheiro agrônomo se torna fundamental na produção de alimentos. Dentro das propriedades rurais auxiliamos diretamente no manejo de pragas e doenças, na recomendação de adubação, na conservação e fertilização de solo, visando sempre o aumento da produtividade. Além disso, atuamos também no planejamento de serviços de engenharia rural, desde máquinas e implementos agrícolas, irrigação e drenagem, topografia, sensoriamento remoto e o geoprocessamento. Contudo, nossa visão é sempre atuar com práticas agrícolas no sentido de explorar, de modo sustentável, a produção vegetal, e desenvolver ações de caráter socioeconômico para promover o bem estar da população rural e urbana. Por meio do Ruraltins temos a oportunidade de trabalhar toda a essência da profissão com os agricultores familiares e médios produtores rurais de nosso Estado”, afirmou o engenheiro.

“Vejo a profissão como relevante para a extensão rural porque trabalhamos lado a lado com o produtor rural. E essa interação técnico/produtor faz com que as transformações aconteçam mediante as informações necessárias que ele recebe para melhorar os índices de produção da atividade que exerce no campo”, avalia a engenheira agrônoma do Ruraltins, Ana Luiza Rodrigues Lobo, há mais de 30 anos no exercício da profissão e 24 anos de extensão rural.

          Para o presidente do Ruraltins, Sebastião Pelizari Junior, o trabalho desenvolvido por esses profissionais reflete não só nos resultados da agricultura tocantinense, bem como no aspecto social, pois ajuda na permanência das famílias no meio rural.

“É um profissional que dissemina conhecimento e diversas tecnologias, e isso provoca o aumenta da produtividade e a competitividade no mercado, fazendo com que as famílias permaneçam no campo, gerando renda e riquezas para o nosso Estado”, ponderou o presidente, que também é engenheiro agrônomo.

Regulamentação

         O dia do engenheiro agrônomo se deve à criação da lei que regulamenta o exercício da profissão no Brasil, a partir do decreto nº 23.196 de 12 de outubro de 1933, completando, em 2018, 85 anos de atuação no país.