sexta-feira, 8 de novembro de 2019

CAMPANHA DE NEGOCIAÇÃO AMIGÁVEL 2019 - (PRORROGADO ATÉ 29/11/2019)

       A Prefeitura Municipal de Porto Nacional, anuncia que esta disponível, a Campanha de Negociação Amigável 2019, com prazo de adesão até 29 de NOVEMBRO de 2019.

    O Programa destina-se a promover a regularização de créditos do Município, decorrentes de débitos de pessoas FÍSICAS ou JURÍDICAS, relativos a Tributos, Taxas Municipais, Multas Formais e ISSQN vencidas até 31 de Julho de 2019, constituídos ou não, inscritos ou não em divida ativa, protestados ou a protestar, ajuizados ou a ajuizar, com exigibilidade suspensa ou não, inclusive os decorrentes de falta de recolhimento de valores retidos.
   
      As condições do CAMPANHA DE NEGOCIAÇÃO AMIGÁVEL 2019 são as seguintes:

  • Para Pagamento a vista, haverá desconto de 100% sobre Juros e Multa
  • Para Pagamento a vista para Multas Formais, desconto de 30% sobre Juros e Multa
Para pagamentos parcelados as seguintes condições serão observadas:
  • Opção de até 06 (seis) parcelas, desconto de 95% em Juros e Multa
  • Opção de até 12 (doze) parcelas, desconto de 90% em Juros e Multa
  • Opção de até 24 (vinte e quatro) parcelas, desconto de 85% em Juros e Multa
  • Opção de até 36 (trinta e seis) parcelas, desconto de 80% em Juros e Multa       
       A parcela minima para pessoa física será de R$ 50,00(cinquenta reais), e para pessoa jurídica será de R$ 250,00(duzentos e cinquenta reais).

    Para adesão a Campanha a Pessoa Física ou Jurídica, deverá comparecer in loco ao PORTO RÁPIDO - Centro de Atendimento ao Contribuinte, localizado na AV. Presidente Kennedy, n° 883 - Centro ou na Subprefeitura no Distrito de Luzimangues, localizado na APM 01 e 02, rua Porto Nacional - Orla Oeste. 

PAGAMENTO A VISTA: 

     Para pagamentos a vista não haverá necessidade de confecção de processo administrativo, podendo a pessoa Física ou Jurídica retirar seus boletos com desconto no ato.

PAGAMENTO PARCELADO:

     Para pagamentos parcelados a pessoa Física ou Jurídica deverá comparecer com os documentos descritos abaixo.

Documentos Necessários para Pessoa Física:

  • RAD - Requerimento de Assuntos Diversos (disponível aqui)
  • Termo de Adesão a Campanha de Negociação Amigável 2019 (disponível aqui)  
  • Documentos Pessoais (RG, CPF ou CNH)
  • Relatório de Débitos a serem parcelados (retirado na hora da negociação)
  • Documentos do Imóvel (Escritura, Contrato de Compra e Venda ou Certidão de Matricula) 
  • Procuração Pública (Se o Responsável não puder comparecer)
  • Carteira Profissional (Se Profissional Autônomo)       
Documentos Necessários para Pessoa Jurídica:

  • RAD - Requerimento de Assuntos Diversos (disponível aqui)
  • Termo de Adesão a Campanha de Negociação Amigável 2019 (disponível aqui)  
  • Documentos Pessoais do Responsável (RG, CPF ou CNH)
  • Cartão CNPJ Atualizado (pode ser emitido no menu serviços acima)
  • Contrato Social da Empresa 
  • Relatório de Débitos a serem parcelados (retirado na hora da negociação)
  • Procuração Pública (Se o Responsável não puder comparecer)
  • Documentos do Imóvel (Escritura, Contrato de Compra e Venda ou Certidão de Matricula) se os débitos forem relacionados a IPTU.    
     No ato da adesão a Campanha de Negociação Amigável 2019, será confeccionado processo administrativo com os documentos apresentados, após conferencia e assinatura dos termos de confissão de débitos, o processo administrativo será arquivado e um comprovante do parcelamento será entregue ao contribuinte juntamente com as parcelas escolhidas (pagamento da 1° parcela deverá ser realizado no ato).

    Todas as informações disponíveis aqui foram retiradas da Lei n°2437, de 23 de Setembro de 2019, e decreto n°514 de 11 de Maio de 2019 disponível no menu Legislação acima.


           

terça-feira, 5 de novembro de 2019

Pacote de medidas do governo muda regras fiscais e corta gastos

          O presidente Jair Bolsonaro entregou aos senadores, nesta terça-feira (5), a primeira parte de um novo pacote de medidas elaboradas pela equipe econômica do governo. São três propostas de emenda à Constituição (PECs) que tratam de medidas de ajuste fiscal no âmbito da União e dos estados e municípios.

              A entrega foi feita ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Também participaram da cerimônia os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. O evento também contou com a presença do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.
          Segundo Paulo Guedes, o pacote aborda uma transformação do Estado brasileiro, em várias dimensões. “Estamos descentralizando recursos para estados e municípios, de forma a fortalecer a Federação brasileira. As outras dimensões são auxiliares, como o estado de emergência fiscal”, explicou, adiantando que outras propostas tratarão ainda de uma reforma administrativa e de privatizações.
            O ministro da Economia espera que, com as medidas relacionadas ao novo pacto federativo, objeto de duas PECs apresentadas hoje, cerca de R$ 400 bilhões sejam repartidos com estados e municípios nos próximos 15 anos, para serem investidos em saúde, educação, saneamento e segurança.
               Jair Bolsonaro disse acreditar que o novo pacto federativo será aprovado até o meio do próximo ano. “Essa proposta vai ser trabalhada pelos senhores, vai ser aperfeiçoada. Gostaríamos de continuar recebendo a visita de prefeitos e governadores, mas a título de visita apenas, e não para pedir algo orçamentário. Isso já estando garantido na emenda à Constituição, eles lá embaixo, nos estados e municípios, decidirão o que fazer melhor do que muitos de nós, porque vivem os problemas do dia a dia lá em sua base”, afirmou o presidente.
PEC Emergencial
             O governo argumenta que a PEC que reduz os gastos obrigatórios, a chamada PEC Emergencial, tem o potencial de acelerar o crescimento econômico do país — pois vai permitir que os governos cortem gastos e apliquem mais recursos em investimentos. Segundo o líder do governo, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), se aprovada até o fim deste ano, a PEC Emergencial poderá elevar a previsão de investimento público de R$ 19 bilhões para R$ 26 bilhões já em 2020.
— Vamos trabalhar para a PEC Emergencial ser aprovada na Câmara e no Senado ainda este ano — afirmou o líder do governo.
          A PEC tem como objetivo principal a contenção do crescimento das despesas obrigatórias para todos os níveis de governo, de forma a viabilizar um gradual ajuste fiscal. Pelo texto, sempre que a despesa corrente superar 95% da receita corrente, sinalizando que o espaço de receitas mais regulares para financiamento da máquina está reduzido, uma série de medidas ficará disponível para o gestor. Se o governador ou prefeito não adotar essas medidas, terá de abrir mão de receber garantias da União para operações de crédito.

— Pode ser que um gestor não queira adotar essas medidas, mas terá que arcar com as consequências. Não podemos assistir ao desequilíbrio fiscal passivamente, temos que buscar uma solução — disse Guedes.
          A PEC está estruturada em dois blocos: as medidas permanentes e as medidas temporárias. As permanentes dão instrumentos a estados e municípios para ajustar as contas públicas. As temporárias criam condições especiais por dois anos para União, estados e municípios recuperarem a saúde financeira. Algumas dessas medidas atingem os servidores: suspensão de progressão na carreira e redução da jornada de trabalho com redução de salário. Conforme estabelecido pela PEC, 25% dessa economia irá obrigatoriamente para projetos de infraestrutura.
           Para o presidente da CNDL, José César da Costa, a iniciativa do governo traz ânimo ao ambiente de negócios.
“A PEC “Mais Brasil”, que prevê a redistribuição de recursos com estados e municípios melhora o ambiente econômico, aquece o comércio, o consumo, estimula o empreendedorismo e a geração de novos empregos. Um cenário decisivo para a retomada do crescimento econômico”, afirma Costa.
        Entre as medidas permanentes, está a inclusão das despesas com pensionistas no limite de despesas com pessoal. Também há a previsão de uma lei complementar para definir indicadores, níveis sustentáveis de endividamento e a trajetória de convergência da dívida. Guedes afirmou que o conjunto dessas medidas poderá abrir espaço para tornar o Estado “servidor”, oferecendo serviços de qualidade à população.
— A transformação do Estado é para destinar recursos para saúde, educação e saneamento — afirmou Guedes.
Entenda as PECs:
Fundos Públicos
             Uma das PECs que integra o Plano Mais Brasil estabelece que os fundos públicos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios serão extintos se não forem ratificados pelos respectivos poderes legislativos por meio de lei complementar específica até o final do segundo exercício financeiro subsequente à data da promulgação da emenda constitucional.
             Com a PEC aprovada, deverão ser extintos cerca de 248 fundos, sendo a maioria (165) instituída antes da Constituição de 1988. Segundo o governo, a proposta permitirá a desvinculação imediata de cerca de R$ 219 bilhões, que poderão ser utilizados na amortização da dívida pública da União. O patrimônio dos fundos extintos em decorrência da PEC será transferido para o respectivo poder de cada ente federado ao qual o fundo se vinculava. Parte das receitas desvinculadas em decorrência da extinção dos fundos poderá ser destinada a projetos e programas voltados à erradicação da pobreza e a investimentos em infraestrutura que visem a “reconstrução nacional”.
       O governo argumenta que é preciso modernizar e aperfeiçoar os mecanismos de gestão orçamentária e financeira dos entes federativos, permitindo essa reavaliação dos fundos pelos respectivos poderes. Ainda segundo a proposição, a extinção não atingirá os fundos previstos nas constituições e leis orgânicas de cada um dos entes federados. Dessa forma, por exemplo, serão mantidos os fundos constitucionais por repartição de receitas, como os Fundos de Participação dos Estados e Municípios (FPE e FPM), bem como o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e o Fundo Nacional de Saúde.
— A nossa classe política tem a responsabilidade e certamente terá a competência de reexaminar esses [cerca de] 280 fundos — continuou o ministro.
Pacto Federativo
          Ainda segundo Paulo Guedes, a PEC que reorganiza o Pacto Federativo tem o objetivo de assegurar “fundamentos sólidos” para o funcionamento dos estados e municípios. Ele lembrou que o município é o local em que o cidadão vive e é lá que as necessidades de saúde, educação e segurança são sentidas. O ministro da Economia afirmou que o governo de Jair Bolsonaro é “o primeiro em 40 anos que fala em descentralizar recursos”. Para o ministro, essa medida é uma forma de fortalecer a democracia.
            Com a PEC, disse Guedes, a expectativa é que, em 15 anos, cerca de R$ 400 bilhões que iriam para a União sejam destinados para estados e municípios. Os valores mínimos de investimento estabelecidos para saúde e educação não serão alterados. O que for economizado terá toda sua alocação definida no orçamento. Também pela PEC, será extinto o Plano Plurianual (PPA) e será criado o Conselho Fiscal da República. O conselho terá como membros os presidentes dos poderes e outras autoridades ligadas à questão fiscal.
          A proposta prevê ainda a incorporação, por cidades vizinhas, de municípios com até cinco mil habitantes e arrecadação menor que 10% da receita total. Uma cidade pode incorporar até três municípios vizinhos que estejam nessa situação.
            De acordo com a PEC, os benefícios de natureza tributária serão reavaliados a cada 4 anos. No âmbito federal, a partir de 2026 as isenções não poderão ultrapassar 2% do PIB. A ideia do governo, segundo Guedes, é transformar o Estado, “sabendo das responsabilidades que temos com as futuras gerações”. Ele elogiou a participação de deputados e senadores na construção da proposta do Pacto Federativo.
— É uma proposta que os líderes da Câmara e do Senado nos ajudaram a calibrar. Estamos construindo juntos uma agenda para a transformação do Estado brasileiro — declarou.

Fonte: CNDL 

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Presidente Bolsonaro confirma a governador Carlesse vinda a Palmas para assinatura de contratos com a Caixa no dia 28

               O presidente da República, Jair Bolsonaro, confirmou presença na solenidade de assinatura dos dois contratos de financiamentos do Governo do Tocantins com a Caixa Econômica Federal, no próximo dia 28 de novembro, em Palmas. A confirmação da presença foi dada ao próprio governador Mauro Carlesse, nesta quinta-feira, 7, depois de ser recebido pelo presidente no Palácio do Planalto. Na oportunidade o governador Carlesse estava acompanhado do líder do Governo no Senado, Eduardo Gomes, e do vice-líder do Governo na Câmara, deputado federal Carlos Gaguim.



              Bastante descontraído, o presidente Jair Bolsonaro agradeceu o convite e falou da satisfação em participar do evento. “E uma satisfação e um orgulho estar em Palmas neste momento em que será celebrado um contrato que vai ser muito bom para todo o Estado”, frisou. 

         O governador Mauro Carlesse disse que fez questão de fazer o convite pessoalmente ao presidente Bolsonaro para o momento que vai marcar a história do Tocantins. “Fiz questão de vir aqui porque ele é importante para o Tocantins e não poderia faltar nesse momento”, disse.

           Também devem participar do evento a bancada federal do Estado, além do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e do presidente da Caixa, Pedro Duarte Guimarães.

Obras

             A contratação destes financiamentos já vinha sendo trabalhada pelo Governo do Estado desde a posse da atual administração e só foi possível devido ao enquadramento do Tocantins na Lei de Responsabilidade Fiscal.

          Além das obras de infraestrutura nos 139 municípios, serão contemplados no contrato de R$ 453 milhões, a construção do Hospital Geral de Gurupi; a pavimentação das rodovias ligando Gurupi ao Trevo da Praia (TO-365); pavimentação da rodovia ligando Lagoa da Confusão à Barreira da Cruz (TO-225); a duplicação da rodovia ligando Araguaína ao Novo Horizonte; a pavimentação da TO-243 ligando Araguaína ao povoado Mato Verde; reforma do Ginásio Ercílio Bezerra, em Paraíso do Tocantins, e do Estádio Castanheirão, em Miracema; e ainda, a viabilização de obras como a construção de unidades habitacionais, e complementação de obras do programa Pró-Transporte.

           Já o contrato de R$ 130 milhões, contempla a construção da nova ponte de Porto Nacional.

domingo, 3 de novembro de 2019

Gestão eficiente eleva produtividade dos pequenos negócios rurais

Congresso que está sendo realizado em Brasília pelo MAPA, com apoio do Sebrae, CNA e CNM, reúne gestores da agropecuária para debater as políticas públicas para o agronegócio



               Uma melhor gestão, pelos setores público e privado, tem sido uma das razões do aumento da produtividade dos pequenos negócios rurais no país. A afirmação foi do presidente do Sebrae, Carlos Melles, na abertura do Congresso Brasileiro de Gestores da Agropecuária, nesta terça-feira (5), em Brasília. O evento, que contou com a participação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, reuniu prefeitos, secretários da área, especialistas e produtores, para discutir a integração de políticas para o setor. O encontro, que é realizado com apoio do Sebrae, da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) e da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), se estende até a quinta-feira (7).

          Conforme pesquisa realizada pelo Sebrae em 2018, 55% dos brasileiros, adquirem com frequência produtos diretamente dos pequenos produtores rurais, principalmente verduras e legumes. A qualidade é o atributo mais importante no processo de compra. “Com a experiência de gestão que o Sebrae tem, estamos conseguindo aumentar os índices de produtividade no campo. Temos sido uma ponte de apoio ao agronegócio, inclusive na transferência de tecnologia para o setor”, afirmou Carlos Melles, presidente do Sebrae. Melles ressaltou, entretanto, que é necessário avançar ainda mais.

             Segundo a ministra Tereza Cristina, o país passa por uma nova fase, onde o agronegócio passa a ter um papel importante. “O trabalho maior é pelos pequenos produtores e o Sebrae é uma importante ferramenta nesse momento”, afirmou a ministra. “A ajuda dos municípios também é fundamental para tirarmos a agricultura da zona de pobreza e colocá-la na linha de produção”, acrescentou Tereza Cristina, ressaltando que os prefeitos devem formar consórcios para fortalecer as economias locais e fortalecer o setor do agronegócio. Ela também destacou o Selo Arte como um instrumento que vai beneficiar os empreendedores artesanais de queijos, embutidos, pescados e mel, que conquistaram o direito de vender seus produtos livremente em todo o país. 

                O presidente da CNA, João Martins, afirmou que o agronegócio se transformou de um setor estagnado a uma área competitiva. “Hoje, o segmento é dinâmico com o avanço tecnológico e avança, mesmo em tempos de crise”, ressaltou Martins. Segundo o presidente da CNM, Glademir Arolde, o congresso é de grande interesse dos municípios, pois cerca de 3,5 mil deles têm na agricultura a sua principal economia. “Precisamos fortalecer as gestões locais para ficarmos mais próximos dos produtores rurais e das micro e pequenas empresas”, observou Arolde. “Nesse sentido, a pauta do Sebrae é a mesma pauta da CNM e temos muito a construir juntos”, acrescentou.

          O principal objetivo do Congresso Brasileiro de Gestores da Agropecuária é integrar as políticas públicas para o setor agropecuário e promover a sua difusão junto ao setor produtivo. Nos três dias do evento, estão sendo debatidos vários temas, desde financiamento e apoio técnico até logística e meio ambiente, além da realização de painéis setoriais e casos de sucesso. Para os pequenos negócios, o evento também é uma oportunidade de trocas de experiências para a melhoria da gestão e da eficiência.

Fonte SEBRAE

sábado, 2 de novembro de 2019

SENAI abre mais de 700 vagas em cursos técnicos de seis unidades do estado

21 turmas estão com inscrições abertas; 75 bolsas de estudos estão disponíveis entre as vagas.

             Já estão com inscrições abertas nas unidades do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de Araguaína, Palmas, Taquaralto, Paraíso, Gurupi e Xambioá 775 vagas distribuídas em 18 turmas de cursos técnicos nas modalidades presencial (675) e 3 turmas na semipresencial (100). Do total de vagas, 75 são oferecidas por meio do programa de Bolsas de Estudos da instituição. 
             Como pré-requisito é exigido que o candidato tenha concluído o ensino médio ou esteja cursando o 2º ou 3º ano, conforme especificado nos editais 01/2020 (presenciais) ou 02/2020 (semipresenciais), ambos disponíveis no site do SENAI. Os cursos têm início das aulas previsto para fevereiro de 2020. A programação traz novidades como a oferta de duas turmas de Técnico em Eletromecânica pela primeira vez no município de Xambioá por meio do Posto Avançado do SENAI.
            A matrícula pode ser feita nas unidades do SENAI até o dia 16 de dezembro ou o esgotamento das vagas levando os documentos pessoais e comprovantes exigidos nos editais. Mais informações sobre o investimento e formas de pagamento podem ser obtidas no setor de atendimento das unidades e no site cursos.senai-to.com.br (opção cursos Técnicos para os presenciais e cursos EAD para os semipresenciais).
Bolsas de Estudo
         As bolsas de estudos são disponibilizadas prioritariamente para trabalhadores da indústria e seus dependentes, sindicatos ou associações com representações nos setores industriais e colaboradores do Sistema FIETO.
            O candidato deverá atender a requisitos como ter condição de baixa renda autodeclarada por escrito, não ser aluno de curso em andamento do SENAI, tão pouco ter sido beneficiado por descontos do SENAI ou pelo Programa de Bolsas de Estudo da instituição e estar adimplente.
Confira as opções:
ARAGUAÍNA
Presenciais (segunda a sexta)
Técnico em Edificações – 1280 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00 – 5 bolsas
Técnico em Automação Industrial – 1260 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00 – 5 bolsas
Técnico em Desenv. de Sistemas – 1000 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00 – 5 bolsas
Técnico em Telecomunicações – 1200 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00 – 5 bolsas
Técnico em Mecatrônica – 1200 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00 – 5 bolsas
Semipresenciais
Técnico em Eletrotécnica – 1200 horas: encontro às quartas-feiras, noturno. 5 bolsas de estudo
Técnico em Logística – 1200 horas: 1 turma com encontros às segundas-feiras e 1 turma com encontros às terças-feiras, ambas no período noturno. 5 bolsas de estudo em cada turma
Valores: 22x de R$ 140,00 no boleto ou 24 x de R$ 128,33 no cartão de crédito.
Contato: (63) 3549-2500/2501
 TAQUARALTO
Presenciais (segunda a sexta)
Técnico em Vestuário – 1200 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00.
Contato: (63) 3225-1800
 PALMAS (Centro)
Presenciais (segunda a sexta)
Técnico em Mecatrônica – 1200 horas: 1 turma noturno e 1 turma vespertino. Valor: 24 x de R$ 250,00 (noturno) ou 24 x de R$ 220,00 (vespertino) – 5 bolsas
Técnico em Eletrotécnica – 1200 horas: 1 turma noturno e 1 turma matutino. 5 bolsas de estudo na turma matutino. Valor: 24 x de R$ 220,00 (matutino) ou 24 x de R$ 250,00 (noturno)
Técnico em Administração – 1000 horas: 1 turma noturno e 1 turma matutino. 5 bolsas de estudo em cada uma. Valor: 24 x de R$ 220,00 (matutino) ou 24 x de R$ 250,00 (noturno)
Técnico em Manutenção Automotiva – 1280 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00.
Técnico em Química – 1200 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00. 5 bolsas
Contato: (63) 3229-5656
 GURUPI
Presenciais (segunda a sexta)
Técnico em Automotiva – 1280 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00. 5 bolsas.
Contato: (63) 3311-1150
 PARAÍSO
Presenciais (segunda a sexta)
Técnico em Administração – 1000 horas: noturno. Valor: 24 x de R$ 250,00.
Contato: (63) 3361-3030
 XAMBIOÁ
Presenciais (segunda a sexta)
Técnico em Eletromecânica – 1440 horas: 1 turma noturno e 1 vespertino. Valor: 24 x de R$ 250,00.
Contato: (63) 3473-2138
Fonte: SENAI/TO

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Comércio puxa recuperação na oferta de vagas de emprego no estado

          No mês de setembro, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - Ministério do Trabalho e Emprego) o Tocantins registrou o crescimento de 424 novas vagas de empregos formais. O Comércio foi responsável por 330 vagas desse montante, melhor resultado para o mês de setembro desde 2003. Já o setor de serviços acarretou em um saldo negativo de 202 vagas, maior redução de vagas dos últimos cinco anos.



               Segundo a assessora econômica da Fecomércio, Fabiane Cappellesso, os dados demonstram uma retomada da economia de modo geral. “Em agosto já se mostrou um cenário mais positivos com relação a criação de empregos, porém a expectativa é que haja uma melhoria na economia como um todo pois fora a criação de empregos, existe a oferta do resgate do FGTS, e além disso, estamos caminhando para o final do ano, onde há a injeção do décimo terceiro salário, a black friday e o natal, ou seja, uma tendência natural para o aumento no consumo”, explicou.

          Ainda sobre o Caged, setembro mostra que Araguaína foi a cidade com maior variação negativa (-139 vagas) e Porto Nacional com variação positiva (167 vagas). A capital Palmas registrou uma variação de – 42 vagas.

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

IV Fórum Nacional do Comércio traz mensagem otimista para economia

             O IV Fórum Nacional do Comércio teve início nesta terça-feira (17/09), no Royal Tulip, em Brasília, com a presença das maiores lideranças do varejo. Autoridades como o ministro da Economia, Paulo Guedes e o presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles, uniram-se aos mais de 900 convidados para fazer parte do maior evento já realizado pelo Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas.



          Falando para um setor que movimenta mais de R$ 340 bilhões, Paulo Guedes saudou os integrantes do Sistema CNDL e reafirmou a confiança nas reformas que o governo está capitaneando. O ministro disse que as ações do governo, com apoio do Congresso, muito em breve trarão resultados. “Tínhamos um diagnóstico quando assumimos. Os gastos públicos deveriam ser enfrentados e as reformas deveriam ser implementadas, só assim o Brasil encontraria uma rota de crescimento sustentável”.

           Segundo Guedes, o Brasil avançou muito em 2019. “Conseguimos aprovar a Reforma da Previdência, a MP da Liberdade Econômica, avançamos nas privatizações, fechamos acordos com o Mercosul e a União Europeia”, enumerou. “As mudanças estão acontecendo, e temos certeza que os resultados virão já no próximo ano”, disse.

           O chefe da Economia aproveitou para apontar quais são as metas futuras do governo. “Estamos trocando o eixo. Queremos que motor da economia passe a ser o setor privado. Para isso, temos que reduzir os juros, os impostos, o endividamento, privatizar e atrair investimentos externos”.

           O Ministro falou da sua obsessão pelo corte de gastos e disse que prefere “furar o piso, fazendo mais cortes, que quebrar a lei que impõe o teto de gastos”. Foi aplaudido ao dizer que o governo Bolsonaro não vai aumentar imposto. “Ao contrário! Vamos reduzir impostos, simplificar o sistema tributário e desonerar a folha de pagamentos”.



           Guedes também falou do cenário político. Disse que é uma injustiça com o governo afirmarem que o espaço democrático está sendo reduzido. “É o contrário! Antes havia espaço apenas para um espectro político ligado à esquerda e à centro esquerda. Hoje o Brasil ampliou esse espectro com o surgimento da centro direita e de um pensamento conservador”.

            O presidente da CNDL, José César da Costa, seguiu o pensamento do ministro. Afirmou que o momento do Brasil é de transformação e exige de todos os brasileiros coragem para enfrentar os desafios que se abrem ao país. “Quando o povo brasileiro se lançou às ruas pedindo mudanças, assumiu um programa inovador e disruptivo a ser implantado e cumprido por toda a Nação”, disse.

             José César também falou com otimismo das reformas que estão sendo implementadas no país. “As medidas aprovadas recentemente pelo Congresso Nacional mostram que o caminho para a prosperidade já foi aberto, com o ataque aos privilégios impresso na Reforma da Previdência, e a desburocratização do setor produtivo, com a aprovação da MP da Liberdade Econômica”, disse.

            O deputado Efraim Filho, presidente da Frente Parlamentar de Comércio e Serviços, lembrou da atuação da CNDL e destacou a importância da Câmara dos Deputados contar com uma representação do setor varejista. “A Frente ocupou um espaço fundamental em que as demandas de estados e municípios passam a ser ouvidas”, disse.

           O presidente do Sebrae, Carlos Melles, saudou os convidados e lembrou como que o comércio exerce um papel sedutor na economia, em que o ato de quem compra e quem vende ajuda a girar a roda da economia. “É por isso que o Sebrae atua com entusiasmo junto aos empresários do setor de varejo. O Brasil precisa de vocês”.

            As palavras de boas-vidas do presidente da CDL-DF, José Carlos, anfitrião do evento, foram no sentido de saudar os convidados e lembrar a importância que o Fórum Nacional do Comércio adquiriu ao longo dos anos. “Esse evento se firmou como um dos mais importantes do país e se tornou uma forma eficiente de formulação da agenda econômica do país”, disse.

         Amanhã (18/09), o Fórum Nacional do Comércio inicia sua programação de debates com painéis de política, economia e gestão empresarial com a participação, entre outros, dos deputados Efraim Filho, Jorginho Melo e Kim Kataguiri, o secretário especial de Trabalho e Previdência, Rogério Marinho

Fonte: CNDL

Ecoturismo tocantinense estará em evidência durante a Abav 2019

               Toda a diversidade de atrativos naturais do Tocantins estará em evidência durante a 47ª Abav Expo Internacional de Turismo e o 52º Encontro Comercial Braztoa. Nesta edição, entre os dias 25 e 27 de setembro, na Expo Center Norte, em São Paulo, a equipe da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc) estará divulgando quatro regiões turísticas: Encantos do Jalapão, Serras e Lago, Serras Gerais e Lagos e Praias do Cantão, assim como a pesca esportiva.



              “Temos o Jalapão como nosso principal cartão-postal, mas queremos mostrar o alto potencial turístico e belezas das outras regiões, como os lagos de águas cristalinas das Serras Gerais, nossas praias, serras com pinturas rupestres e regiões propícias à pesca esportiva, como a Ilha do Bananal, que atraem um número cada vez maior de visitantes”, enfatiza o presidente da Adetuc, Tom Lyra. Ainda segundo o gestor, o governador Mauro Carlesse enxerga no turismo um grande potencial econômico a ser desenvolvido.

Destinos

              O Estado do Tocantins está dividido em sete regiões turísticas, sendo que quatro delas estarão em evidência na 47ª Abav Expo.



            A região Encantos do Jalapão é reconhecida por sua exuberância e possui atrativos localizados nas cidades de Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins. Em meio a 34 mil km² de paisagem árida, a região é cortada por uma imensa teia de rios, riachos e ribeirões, todos de águas transparentes e potáveis, sem contar suas impressionantes formações rochosas.

                  O circuito mais propagado pelos operadores de turismo é a chamada ferradura, entrando por Ponte Alta e saindo por Novo Acordo, com visitas a cachoeiras, fervedouros e dunas. Para os mais aventureiros, a região é ideal para prática de esportes, entre eles o rafting, a canoagem, o rapel e as trilhas a pé e de bicicleta.



Serras e Lago

            O polo turístico Serras e Lago integra os municípios de Lajeado, Palmas, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional, Miracema, Tocantínia e Fátima. A Capital é o portão de entrada do Estado, principalmente por via aérea, e hoje se estabeleceu como importante centro de lazer e ecoturismo, com praias e as cachoeiras de Taquaruçu.

             As atividades turísticas passam ainda pelo potencial da Serra do Lajeado, com trilhas, cachoeiras e pinturas rupestres e do lago formado pela construção da Usina Hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães, no qual podem ser praticados diversos esportes náuticos. Há ainda o importante legado cultural do municípios de Porto Nacional, que tem o seu centro histórico tombado como patrimônio nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Serras Gerais

               Formada por oito municípios – Almas, Arraias, Aurora, Dianópolis, Natividade, Pindorama, Rio da Conceição e Taguatinga –, a região das Serras Gerais faz parte da maior cadeia de serras do Brasil. Além de uma série de atrativos naturais, que envolvem cânions com cachoeiras de tirar o fôlego, rios transparentes, incluindo o menor do Brasil, o Azuis, grutas e cavernas, várias dessas localidades ainda guardam tradições, arquitetura colonial, história e cultura como as Cavalhadas, as festas do Senhor do Bonfim e do Divino Espírito Santo, o carnaval de rua, a gastronomia típica.



             Trakking, snorkel, rafting, trilha, canoagem, banhos de cachoeira, contemplação da natureza e muitas outras atividades podem ser praticadas em toda a região tocantinense das Serras Gerais. 

Lagos e Praias do Cantão

              Durante o período da seca, Tocantins revela uma de suas maiores riquezas: as praias dos rios Araguaia e Tocantins, que são tomadas pelos veranistas especialmente no mês de julho. Este período também abre portas para outras belezas praticamente intocadas. Uma delas é o Parque Estadual do Cantão, um santuário para os amantes do ecoturismo. O Parque é a atração principal do município de Pium, a 135 km de Palmas, porém seu portal de entrada mais popular fica em Caseara, distante 260 km da Capital.

            A região conhecida como Lagos e Praias do Cantão, que reúne os municípios de Araguacema, Caseara, Marianópolis e Pium, revela uma de suas maiores riquezas: as praias dos rios Araguaia e Tocantins, que são tomadas pelos veranistas especialmente no mês de julho. Mas também há belezas praticamente intocadas no Parque Estadual do Cantão, um santuário para os amantes do ecoturismo. O Parque é a atração principal do município de Pium, a 135 km de Palmas, porém seu portal de entrada mais popular fica em Caseara, distante 260 km da Capital. A região é ideal para safáris fotográficos e trilhas ecológicas terrestres e aquáticas, conforme o período do ano.

Pesca esportiva

              Existem dezenas de lagos e pontos ideais para pesca esportiva em todo o Estado. Projeto para incentivar esta modalidade que gera renda e protege o pescado nacional vem sendo desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Adetuc e da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro).

Entre os destaques está a região da Ilha do Bananal. Pescadores esportivos de várias regiões do país buscam a abundância de espécies como o tucunaré (azul, amarelo e pitanga), aruanã, pirarucu, jacundá, apaiari, saicanga, pirarara, barbado, fidalgo e surubim.