728x90 AdSpace

Day News
sexta-feira, 28 de agosto de 2020

Pequenos negócios da indústria da construção devem se readaptar

Protocolo elaborado pelo Sebrae traz orientações específicas para o retorno seguro dos empresários, colaboradores e parceiros de negócios ao local de trabalho




Mesmo sendo considerados serviços essenciais, a produção, distribuição e comercialização de materiais de construção, bem como as obras de engenharia, de maneira geral, sofreram grande impacto com o avanço da pandemia do coronavírus. Com a liberação gradual das atividades econômicas pelo país, é preciso uma readaptação dos pequenos negócios do ramo da indústria da construção civil ao novo cenário para o enfrentamento da doença, com especial cuidado às medidas de saúde e segurança. Os empresários devem entender que, ao retornar às atividades, vão se deparar com mudanças de comportamento, inclusive no que se refere ao consumo de produtos e serviços através de plataformas digitais.

Para apoiar esse retorno seguro e consistente do funcionamento dos pequenos negócios do segmento da indústria da construção, o Sebrae elaborou um protocolo de retomada das atividades do setor, a partir da parceria com entidades setoriais e recomendações das autoridades oficiais de saúde. A iniciativa faz parte da iniciativa de disponibilizar um conjunto de documentos para 14 macrossetores com orientações para que os empresários consigam adequar o ambiente de trabalho, preparar e orientar os colaboradores e fornecedores, oferecendo um local seguro para receber os clientes.

O Sebrae reconhece que a liberação de funcionamento dos estabelecimentos depende, fundamentalmente, das condições de cada localidade e recomenda que os empresários fiquem atentos aos decretos e regulamentos vigentes na sua região. Caso exista divergência de informações entre as medidas estaduais e municipais, opte por seguir a orientação mais rígida, de preferência de acordo com as recomendações das autoridades oficiais de saúde, como Organização Mundial de Saúde (OMS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Saúde. Para as empresas da indústria da construção, recomenda-se procurar o Serviço Social da Construção (SECONCI) da localidade para a busca de informações acerca dos efeitos da pandemia, bem como de dados sobre os procedimentos de saúde que devem ser adotados nos canteiros de obra.

Na visão do presidente do Sebrae, Carlos Melles, para o retorno das atividades é fundamental o controle rígido de segurança e higiene tanto dos colaboradores, fornecedores, quanto dos clientes.

Confira as principais recomendações e orientações para a retomada segura das atividades da indústria da construção civil:

Orientações Gerais de Higiene e Saúde

*Além das recomendações básicas para a lavagem das mãos com uso de água e sabão e uso de álcool 70% para a higienização individual, o distanciamento mínimo de 2 metros entre os colaboradores e clientes deve ser mantido, independentemente do uso de máscara. Realize a limpeza e desinfecção de objetos e superfícies que sejam tocados com frequência, utilizando água e sabão ou borrifando álcool 70%. Áreas de uso coletivo, como banheiros e copas, devem ser limpos com frequência.

*As ferramentas, máquinas e equipamentos de uso manual devem ser constantemente higienizados, antes e durante a execução dos trabalhos.

*Quanto ao uso das máscaras, as empresas devem seguir os decretos ou regulamentos da região que determinam o uso obrigatório. Independentemente disso, lembre-se que a máscara é utilizada como equipamento de segurança e, quando for de tecido, deve ser trocada caso esteja úmida e não deve ser utilizada por longos períodos, no máximo 3 horas. É importante que as máscaras de tecido ou não profissionais sejam higienizadas após o uso. Já as máscaras descartáveis, devem ser armazenadas em sacos vedados em lixeiras com pedal e tampa, para recolhimento por empresas de coleta de produtos contamináveis.

Orientações para local de trabalho

*Adote procedimentos de higienização na entrada do canteiro de obras, disponibilizando lavatório com água e sabonete líquido, álcool em gel 70%, toalhas de papel não reciclado, com informativo afixado em local de fácil visualização, contendo orientações de prevenção de contágio da doença. Também faça a medição da temperatura na entrada do canteiro de obras, impedindo o acesso de todos que apresentarem temperatura superior a 37,8º C. Se possível, utilize termômetro com leitura instantânea por aproximação, sem contato físico.

*A higienização contínua de equipamentos proteção individual (EPIs) dos trabalhadores, bem como de equipamentos de transporte de pessoas, ferramentas e materiais, deve ser realizada continuamente com álcool 70% ou outro sanitizante. Oriente os colaboradores para que o uso de uniforme aconteça somente no local de trabalho.

*Tanto os EPIs, quanto uniformes e máscaras não podem ser compartilhados e devem ser constantemente trocados e higienizados. Evite o compartilhamento de utensílios de uso pessoal, ferramentas como celular, medidores de nível, prumo, trenas, espátulas, lixadeiras, rolos, dentre outros. Se houver necessidade de compartilhamento desses materiais, deve-se realizar a higienização antes e depois da utilização por outros trabalhadores.

*Evite qualquer tipo de aglomeração, ainda que no local destinado à alimentação ou descanso. Retire bancos com muitos assentos. As áreas de convivência devem ser limpas e esterilizadas ao menos duas vezes ao dia. Higienize diariamente os banheiros químicos, ficando proibido a utilização de mictórios. Grandes superfícies devem ser esterilizadas com desinfetante contendo cloro ativo ou solução de hipoclorito a 1% ao menos duas vezes ao dia.

*Entregue ao trabalhador, sempre que possível e sem custo financeiro, kits de higiene contendo sabonete, álcool gel e outros sanitizantes, para que leve para casa, de forma a proteger a si e à sua família.

*Oriente os profissionais sobre como e a quem dirigir-se ao apresentar sintomas do Covid-19.

*Promova a orientação e arguição permanente dos trabalhadores sobre suas condições de saúde, bem como de seus familiares, para identificação rápida dos casos que podem levar às condições de isolamento previstas na legislação.

*Os ambientes de trabalho que não estiverem a céu aberto devem ser mantidos ventilados, com a retirada de barreiras que impeçam a circulação de ar, observadas as normas de segurança.

*Devem ser tomadas medidas de distanciamento social em ambientes fechados do canteiro de obras, como escritórios, preservando a separação mínima entre as pessoas nos postos de trabalho.

*O uso do elevador de obra deve ser limitado, garantindo espaçamento de 2 metros entre as pessoas. Recomenda-se a utilização, preferencialmente, de escada.

Orientação para Colaboradores

*Todos os colaboradores devem ser informados e orientados sobre as medidas de prevenção a serem adotadas, inclusive os motoristas, que devem higienizar o interior do veículo com atenção aos locais de muito contato, como volantes e maçanetas.

*Caso os trabalhadores utilizem o coletor de ponto por biometria, devem ser orientados a higienizar as mãos imediatamente após o registro.

*Adote, temporariamente, o ponto por exceção, conforme previsão legal, para evitar aglomeração em torno dos equipamentos de marcação no início e final de expediente.

*As pessoas do grupo de risco, acima de 60 anos ou que apresentem condições de saúde pré-existentes, como diabetes, hipertensão ou com problemas respiratórios, devem ser afastadas das atividades.

*Caso a empresa disponibilize uniformes aos trabalhadores, providencie a troca diária e proíba o compartilhamento de roupas ou outros itens pessoais. Oriente para que, no final do dia de trabalho, os profissionais tirem a roupa usada e coloque-a em um saco plástico para o transporte.

*Garanta um espaço reservado para guardar bolsas e itens pessoais dos colaboradores. Solicite que o mesmo traga o mínimo de objetos pessoais para o ambiente de trabalho e forneça sacolas plásticas para acondicionar os pertences de cada funcionário. A limpeza de sanitários e vestiários deve ser reforçada.

*Os horários de trabalho deverão obedecer aos decretos expedidos pelo governo local para o funcionamento dos estabelecimentos. Caso não haja determinação específica, estabeleça horários alternativos para o início das atividades, de tal modo que permita a realização de intervalos para almoço e término.

*Se possível, avalie a possibilidade de definir turnos em escalas para evitar a aglomeração de pessoas em ambientes fechados e no transporte coletivo.

*Nos refeitórios, oriente o distanciamento mínimo de 2 metros entre os colaboradores. O local para as refeições deve ser preferencialmente em ambiente aberto ou com ampla circulação de ar.

*Evite toalhas de qualquer material nas mesas, ainda que individuais ou descartáveis. Dê preferência ao fornecimento de refeição individualizada (marmita), evitando a formação de filas e aglomerações, limitando, de qualquer forma, a utilização simultânea de, no máximo, 50% da capacidade total do local.

*No fornecimento de água potável com uso de bebedouros ligados à rede de abastecimento público, recomenda-se que as torneiras a jato sejam lacradas para que se evite o contato da boca dos usuários no equipamento. Caso não haja outro sistema de água potável, possibilite a retirada da água apenas em copos descartáveis ou recipientes de uso individual. Os bebedouros também devem ser higienizados continuamente, mesmo aqueles que são com galões de água. Em caso de transporte de trabalhadores fornecido pelo empregador, também é recomendado o distanciamento seguro. Mantenha a ventilação dos veículos por meio da abertura das janelas e desinfete regularmente os assentos e demais superfícies após o uso.

Orientações para relacionamento – empreiteiros e fornecedores

*A empresa deve estender as medidas protetivas e preventivas indicadas aos trabalhadores a empreiteiros e terceirizados que atuam no canteiro de obras. Gestores dos subcontratados devem notificar as empresas sobre qualquer afastamento ou suspeita da doença que venham a ocorrer com seus trabalhadores.

*Deve ser restrita a entrada e circulação de pessoas que não trabalham no canteiro de obras, especialmente fornecedores de materiais – caso seja necessária a entrada, deve ser restrita a ambiente de descarga e durar o menor tempo possível. Para essas pessoas, deve ser oferecida higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel 70%, antes de adentrarem à área de descarga.

*Visitas de arquitetos, projetistas e profissionais deve ser autorizada e planejada com antecedência e todos devem adotar os mesmos procedimentos sanitários previstos nesse documento, além do uso já exigido dos EPI da obra.

Fonte: ASN / SEBRAE
  • Comentários do Blogger
  • Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Item Reviewed: Pequenos negócios da indústria da construção devem se readaptar Rating: 5 Reviewed By: porto rápido